terça-feira, janeiro 02, 2018

365 AS NOVAS PORTAS.... ABERTAS DE PAR EM PAR


imagem retirada da net


Abrem-se as portas de ouro, inundadas de sol rubro,
as esperanças atapetam os passos que descubro
e povoam as penumbras do que está por vir,
do que está mais adiante, logo ali, para nascer e colorir.

Abrem-se as portas de prata, inundadas de prateados luares,
elevam-se as palavras, as horas, as essências das almas e dos lugares,
vestem-se as fadas e os faunos de viçosas heras e enfeitiçadas papoilas,
as estrelas brincam  no céu, na terra sonham as moçoilas,
de olhos  de amoras silvestres, de lábios cor de romã;
bagos gulosos por colher, orvalhados de sequiosa manhã.

Abrem-se as portas de diamante, inundadas de faiscantes cometas,
reverberantes caminheiros em terra macia perfumada de doces violetas,
inocentes, tímidas, pairando sobre as águas de uma profunda lagoa
onde magos e princesas vêm murmurar sonhos. E uma gaivota entoa
o mais belo canto de amor, a mais bela balada de dor e solidão,
olhando do alto rochedo o infinito mar de segredos e quebrada mastreação.

Abrem-se as portas de um ciclo, novo, fresco, vibrante a iniciar,
desenham-se novos sonhos, escreve-se no infinito a palavra "começar",
como em jogo de criança, como em virginal desejo a crescer.
Abrem-se as portas da vida, nova, em botão,  ainda por florescer.


Lágrimas de lua

5 comentários:

luna luna disse...

hoje pode ser o primeiro dia de recomeço, hoje é o dia mais importante da vida a ser vivido, o ontem já passou amanhã ninguém sabe se virá. que o 2018 te traga muitas realizações na tua vida.
beijinhos

Jaime Portela disse...

E como é bom ter a sensação de portas que se abrem e que, a partir daí, podemos ter acesso a um novo ciclo, recomeçar e até renascer.
Parabéns pelo poema, é magnífico.
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

saudade disse...

E que essas portas desse novo ciclo se abram para entrar tudo o que de bom desejar. Que 2018 lhe traga muita saúde e alegria....
Beijo de....
Saudade

O Profeta disse...

Já desenhei um corpo no lugar vazio do amor
Prisioneiro da inocência absurda do querer
Já sonhei com barcos sem mar
Já falei pelos olhos do ultimo sobrevivente
Já percorri o dia do encontro dos desencantados
Para te amar...
Caminheiro, caminhante sobre a espuma
Olhando por uma janela violentamente transparente
Abrindo uma passagem secreta
Para o universo das palavras simples
Sopram os ventos
Para içarmos velas
No céu uma lua feiticeira
Sabes?!
És um Ser de amor e luz
Até os teus olhos são feitos de luz
“ As estrelas fizeram os teus olhos para se verem a si próprias”
Escrevo na branca imensidão de uma folha branca o que Deus quiser
Na simplicidade do sorriso de uma flor
O teu nome

O primeiro nome de uma mulher...

doce beijo

Jaime Portela disse...

Mas as tuas portas ainda não se abriram para novo post...
Bom fim de semana, querida amiga.
Beijo.